SoCal SS Swell “Hurricane Marie”– August, 2014

Os últimos dias foram intensos no sul da Califórnia em termos de surf. Tubos enormes. Caldos gigantes. Centenas de espectadores entusiasmados em um calor de trinta graus.

O fenômeno climático chamado de “Hurricane Marie” começou como um furacão de categoria 5 no meio do Oceano Pacífico gerando previsões de ondulações  gigantes e expectativa do que viria a ser o melhor swell do verão californiano. As previões estavam certas.

Picos como The Wedge, Newport e Malibu apresentaram condições épicas na última terça e quarta feira. Outros picos menos expostos também tiveram seus momentos e nós, do Destino Califórnia, reunimos as melhores fotos e vídeos que circularam pela rede nas últimas horas.

E fiquem atentos, as previsões indicam que vem mais por aí. Santa Barbara e Ventura são apontadas como as próximas paradas do sweel. Ta de bobeira? Ainda dá tempo de pegar o avião.

The Wedge, Newport - Pic: Charmaine Rosa

The Wedge, Newport – Pic: Charmaine Rosa

Zuma Beach, Malibu - Pic: Peter de Simone

Zuma Beach, Malibu – Pic: Peter de Simone

The Wedge, Newport - Pic: Unknown

The Wedge, Newport – Pic: Unknown

The Wedge, Newport - Pic: RS Peer

The Wedge, Newport – Pic: RS Peer

The Wedge, Newport - Pic: Duglass Duqette

The Wedge, Newport – Pic: Duglass Duqette

The Wedge, Newport - Pic: Jin Kruse

The Wedge, Newport – Pic: Jin Kruse

The Wedge, Newport - Pic: RJ Fenwick

The Wedge, Newport – Pic: RJ Fenwick

Somewhere btw 15th and 56th St, Newport - Pic: Tad Collister

Somewhere btw 15th and 56th St, Newport – Pic: Tad Collister

Pier SS, Malibu - Pic: Unknown

Pier SS, Malibu – Pic: Unknown

Sandbar, Pismo Beach - Pic: Zack Brown

Sandbar, Pismo Beach – Pic: Zack Brown

Oceanside Pier SS, San Diego- PIc: Fred Tracey

Oceanside Pier SS, San Diego- PIc: Fred Tracey

15th Street, Newport Beach - Pic: Charmaine Rosa

15th Street, Newport Beach – Pic: Charmaine Rosa

15th Street, Newport Beach - Pic: Charmaine Rosa

15th Street, Newport Beach – Pic: Charmaine Rosa

15th Street, Newport Beach - Pic: Sea Laca

15th Street, Newport Beach – Pic: Sea Laca

15th Street, Newport Beach -Pic: Drift Wood

15th Street, Newport Beach -Pic: Drift Wood

15th Street, Newport Beach - Pic: Unknown

15th Street, Newport Beach – Pic: Unknown

North San Diego - Pic: Cat Gregory

North San Diego – Pic: Cat Gregory

Malibu Pier NS, Malibu- Pic: Blake Richards

Malibu Pier NS, Malibu- Pic: Blake Richards

Lower Trestles, San Clemente -Pic: Dan Jensen

Lower Trestles, San Clemente -Pic: Dan Jensen

Lower Trestles, San Clemente - Pic: Steven Dillon

Lower Trestles, San Clemente – Pic: Steven Dillon

The Wedge, Newport - Pic: Linda Wood

The Wedge, Newport – Pic: Linda Wood

Malibu Pier NS, Malibu - Pic: Unknown

Malibu Pier NS, Malibu – Pic: Unknown

15th Street, Newport Beach - Pic: Unknown

15th Street, Newport Beach – Pic: Unknown

The Wedge, Newport - Pic: Unknown

The Wedge, Newport – Pic: Unknown

Pier NS, Huntington Beach - Pic: Unknown

Pier NS, Huntington Beach – Pic: Unknown

Pier NS, Huntington Beach - Pic: Unknown

Pier NS, Huntington Beach – Pic: Unknown

Cottons, San Clemente - Pic: Dan Jensen

Cottons, San Clemente – Pic: Dan Jensen

Corona Del Mar,  Newport - Pic: RJ Fenwick

Corona Del Mar, Newport – Pic: RJ Fenwick

15th Street, Newport Beach - Pic: RJ Fenwick

15th Street, Newport Beach – Pic: RJ Fenwick

 

Gostou do Post? Compartilhe com seus amigos.

Tem alguma foto do swell provocado pelo Hurricane Marie na costa da Califórnia? Envie para nós  que adicionamos a nossa galeria.

Deu sorte e estava lá durante o swell? Conta como foi nos comentários.

 

O.C. SSW Swell – April, 2014

Essa semana a combinação de um swell de sudoeste com ventos noroeste que atingiram a costa da Califórnia, geraram ótimas ondas em praias do Orange County como Newport, Huntington, Santa Ana e San Clemente.

Fizemos uma seleção das melhores fotos que circularam pela internet. Se você estiver por lá nesse feriado do dia do trabalho, aproveite! Ainda tem uma raspinha do swell rolando.

The Wedge, Newport Beach - Foto: Richard Fenwick

The Wedge, Newport Beach – Foto: Richard Fenwick

 

River Jetties, Santa Ana - Foto: Craig Larson

River Jetties, Santa Ana – Foto: Craig Larson

River Jetties, 72 Street, Newport Beach - Foto: Thiago Portes

River Jetties, 72 Street, Newport Beach – Foto: Thiago Portes

River Jetties, 72 Street, Newport Beach - Foto: Tad Collister

River Jetties, 72 Street, Newport Beach – Foto: Tad Collister

Pier South Side, Huntington Beach - Foto:

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach - Foto:

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Tad Collister

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Tad

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Tad Collister

 

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Tad

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Tad Collister

 

The Wedge – as bombas do O.C.

Depois do nosso almoço em Crystal Cove, pegamos o carro e fomos voltando em direção a Balboa Island. Entramos no bairro de Corona Del Mar e fomos conhecendo um pouco da vida de Newport. As casas são lindas, as ruas limpas e organizadas. Tudo como nos filmes e seriados da TV.

aaaaa

As lindas ruas de Newport.

aaaa

Corona del mar: uma das praias mais populares da região.

Optamos por seguir um pouco mais pra frente e chegamos até o The Wedge – um dos mais famosos picos de bodysurfing do mundo – que fica no final da península de Balboa, quase em frente a balsa que atravessa para a Ilha, no Jetty View Park.


Exibir mapa ampliado

Exibir mapa ampliado

O lugar tem ondas impressionantes, que rendem muitas vacas e diversão garantida, pelo menos para a platéia. Funciona assim: a primeira onda da série vem e se choca com o paredão de pedras artificiais do lado esquerdo da praia e volta como uma nova onda que se junta com a próxima da série formando um estilingue com força suficiente para mandar muita coisa pelos ares. Para que isso aconteça é necessário um bom swell de sul e o período certo para que o time do encontro das ondas seja perfeito – um período maior ou menor causa um desencontro.

Apesar da aonda ser tradicionalmente para bodyboards, nos últimos anos prós como Strider Wasilewski, os gêmeos Hobgood, Jamie O’brien  e mais uma longa lista de corajosos tem desbravado o pico. Os skinboads também são presença constante e para eles o melhor é pegar a onda que bate no paredão antes dela se encontrar com a próxima, o que resulta em aéreos insanos, tubos mostruosos e caldos inacreditáveis.

Mas o pico não é pra qualquer um. Todo verão alguém é noticia por ter sido lançado contra as areias e se machucado feio. Por isso, é bom lembrar que apesar da onda ser possível para pranchas, ela é bem mais adequada para bodyboards.

Segundo o surfline “se você está se sentindo suicida ou só quer presenciar surfistas e bodyboars se jogando em dos espetáculos mai  deslumbrantes do sul da Califórnia, esse é o melhor lugar para visitar.”

Como nenhum de nós dois estávamos com intenção suicida, nos limitamos a sentar na areia e ficar observando os surfistas. O swell não estava dos maiores, mas já deu pra imaginar as belas vacas que podem ser precensiadas no pico.

aaaa

Assim que chegamos não haviam ondas e aproveitamos para dar um mergulho no mar.

aaaaaa

Mas logo alguns bodyboards entraram na água e garantiram nossa diversão.

Foi um final de tarde super gostoso, a galera na praia era bem bacana e o por do sol estava lindo.

Alguns dias depois o swell entrou um pouco maior e Linda – nossa anfitriã – tirou algumas boas fotos das ondas. Pelas fotos dela, fiquei impressionada com a quantidade de espectadores e imprensa que vão até lá para registrar o que sem dúvida é um espetáculo que vale a pena ser visto.

Por isso achei que o lugar merece uma galeria de fotos e vídeos.

aaaa

A onda é perfeita para bodyboards que gostam de fortes emoções.

aaaa

alguns surfistas se arriscam nos caixotes.

aaa

As vacas são a grande atração, pelo menos para quem está fora da água.

aaa

Que pode também não ser tão segura assim.

Saímos da praia e seguimos para Huntington para fazer umas comprinhas e jantar. Voltamos cedo, por que no dia seguinte o surf ia ser em uma das ondas mais esperadas da viagem. E é sobre Trestels que eu vou falar no próximo post.

Mais informações e previsão das ondas: http://www.surfline.com/surf-report/the-wedge-southern-california_4232/travel/

* Algumas das fotos desse post não são de autoria do blog. Se você detém os direitos de alguma das imagens e quiser que a mesma seja retirada ou creditada, por favor contate-nos.

Nossa casa no O.C.

Mais uma vez usamos o site Air BNB para escolher a nossa hospedagem durante a viagem. Já expliquei como ele funciona e contei nossa primeira experiência em Santa Cruz aqui, e também contei como foi se hospedar na casa do George em Santa Monica aqui.

No caso do O.C., a escolha do lugar ocorreu de uma maneira um pouco diferente dos outros. Não sabíamos ao certo em que praia gostaríamos de ficar. Huntington, Newport, Laguna e San Clemente ficam todas dentro do condado e tem muitos atrativos que nos atraem.

A area de Newport.

A area de Newport.

Buscando no site por algum lugar bacana dentre essas possibilidades, me deparei com a casa da Linda e me apaixonei completamente por ela. A casa parecia ter saído de um sonho de verão, toda bem cuidada e cheia de detalhes charmosos. A anfitriã, parecia educada e preocupada com seus hóspedes.

Mas o melhor ainda estava por vir: a localização. O paraíso da Linda fica dentro de outro paraíso e ele se chama Balboa Island.


Exibir mapa ampliado

A pequena ilha artificial – além dela existem mais duas menores –  fica no meio do canal de Newport, uma das comunidades a beira mar mais chiques da Califórnia. A ilha em si, é mais exclusiva ainda. Com uma população de cerca de 3 mil habitantes, é um dos territórios com maior densidade demográfica da Califórnia. As pequenas casas têm preços estratosféricos.

A ligação com o continente é feita através de uma ponte que fica do lado norte da ilha, ou por uma pequena balsa ao sul, que liga o pedacinho de terra a peninsula de Newport.

A ponte que liga Balboa ao continente.

A ponte que liga Balboa ao continente.

O trajeto também pode ser feito pela pequena balsa.

O trajeto também pode ser feito pela pequena balsa.

Apesar da diária de $110 exceder um pouco nosso orçamento, decidimos nos dar o presente de fazer parte por três dias desse lugar que parecia só existir nos filmes.

Chegamos a Balboa – vou fazer um post depois só sobre a ilha, contando mais detalhes de como esse lugar é bacana –  por volta das seis da tarde da quinta-feira, 25 de agosto de 2011. Linda, a anfitriã, estava a nossa espera. Seguindo sua orientação, paramos o carro na rua em frente a casa e fomos conhecer seu paraíso. As fotos falam por si.

A fachada da casa e alguns detalhes do quintal.

A fachada da casa e alguns detalhes do quintal.

A rua da Linda e o quintal da casa.

A rua da Linda e o quintal da casa.

A sala com lareira.

A sala com lareira.

Linda nos surpreendia nos detalhes. Até plaquinha de boas vindas ela fez pra nós.

Linda nos surpreendia nos detalhes. Até plaquinha de boas vindas ela fez pra nós.

Nosso quarto: lindo como todo o resto. O colchão, os travesseiros e os cobertores eram perfeitos.

Nosso quarto: lindo como todo o resto. O colchão, os travesseiros e os cobertores eram perfeitos.

O banheiro não fica de fora de todo o cuidado. Adorei os sabonetes líquidos da Bath and Body Works. Comprei um estoque pra minha casa.

O banheiro não fica de fora de todo o cuidado. Adorei os sabonetes líquidos da Bath and Body Works. Comprei um estoque pra minha casa.

Além da hospedagem, Linda nos ofereceu também o café da manhã. Cada dia ela nos surpreendia com algo mais gostoso e reconfortante. Frutas vermelhas com iogurte grego e nozes, english muffins quentinhos, bolos e até uma torta de maçã fresquinha – e quentinha! –  de uma padaria próxima. Infelizmente não tiramos foto do café todos dias mas o cuidado da Linda me impressionou muito. Em um dos dias, ela saiu cedo para dar uma volta de kayak – um dos seus passeios favoritos pela ilha – e deixou tudo prontinho, acompanhado de um bilhete com as instruções. Coisa de mãe!

Linda's note. I love it!

O bilhete fofo da linda!

O café da manhã que linda preparou para nós no primeiro dia.

O café da manhã que linda preparou para nós no primeiro dia.

Linda foi a melhor surpresa dessa nossa hospedagem. Apesar de já pelos e-mails perceber que ela era uma pessoa educada e atenciosa, não esperava sentir essa afinidade por ela. Desde o momento em que chegamos sua atenção me encantou. Seu interesse pela nossa história, sua paciência ao nos ouvir falar em inglês e a preocupação em nos deixar informados de tudo – ela chegava a ver a previsão das ondas no jornal pra gente –  são algumas das coisas que posso citar e que muito provavelmente você vai receber também se escolher se hospedar com ela – de uma olhada no reviews sobre ela no site. Já a amizade que construímos, essa eu não posso garantir. É coisa que vai além de fatos, vem do coração.

Nós e a querida Linda.

Nós e a querida Linda.

Linda, saiba que você fez a nossa viagem um pouco mais especial e inesquecível. Eu e o Gilbert – é assim que ela chamava o Gui  – somos muito agradecidos por tudo e pensamos sempre em você.  A gente espera um dia poder te reencontar para compartilhar o que aconteceu com a gente desde aquele verão, que como você sabe, foi um dos mais especiais da nossa vida! Saiba que, se um dia você tiver a oportunidade, será muito bem vinda na nossa casa e na nossa Ilhabela, aqui no  Brasil!

Mantive contato com a Linda por um bom tempo após a viagem, mas faz algum tempo já que não falo com ela. Vou traduzir esse post para o inglês para que ela possa ver.

Se você quiser conferir a versão em inglês, clique aqui.

Link da casa da Linda no Air BNB: https://www.airbnb.com.br/rooms/70701

No próximo post: A arraia de Balboa Island