Em busca de ondas por La Jolla, SD

Saímos de Black´s mortos de fome. Decidimos almoçar na mesma Deli que havíamos visitado no dia anterior e que eu contei nesse post aqui.

Estávamos acompanhados além do Lukinhas, por um amigo dele, brasileiro, mas morador de San Diego a muitos anos, o João Paulo. Como um bom local, o João levou a gente para dar um check nas praias de La Jolla e tentar achar a melhor opção de onda para a segunda queda do dia.


View Points Surf La Jolla in a larger map

Começamos pelos points de fundo de pedra que ficam ao sul da La Jolla Children’s Pool.

Existem vários points nessa região com nomes diferentes, sendo os mais famosos Hospitals – que quebra nos swells de oeste e noroeste – e Horseshoe – uma esquerda que quebra graças ao fundo em forma de ferradura. De onde estávamos conseguíamos ter uma visão dos dois picos e percebemos que enfim o swell tinha chegado. As ondas estavam grandes e ficamos mais de uma hora observando o mar. Ambas são difíceis e perigosas e até mesmo os locais exitam em cair por ali quando as condições não estão perfeitas. Haviam dois surfistas na água e eles remavam muito para fugir da correnteza e estavam com dificuldades em ficar no pico para conseguir dropar.


View Points Surf La Jolla in a larger map


View Points Surf La Jolla in a larger map

Esquerda forte quebrando nos reefs de pedra.

Esquerda forte quebrando nos reefs de pedra.

Esquilos.

Enquanto as ondas rolavam dois esquilinhos tentavam se esconder da gaivota que queria roubar a comida deles.

Decidimos então descer mais um pouco e o João nos levou para a Marina Street Beach. A pequena praia fica meio escondida e por isso não é destino comum de turistas. O bairro é bem residencial e é possível estacionar o carro pelas ruas próximas. A onda, tubular e cavada, é famosa entre os bodyboards, e os meninos acharam que dava pra encarar de prancha.


View Points Surf La Jolla in a larger map

A praia.

Marina Street Beach.

Gui

Lukas Paris.

Gui

Gui Assis.

aaaa

Lá foi a primeira vez que vi Bodyboards praticando o Drop-Knee –   com um pé e um dos joelhos na prancha – e achei incrível.

aaaa

Praticamente todos bodyboards na água dropavam as ondas assim.

aaaa

E faziam coisas que eu nunca imaginei serem possíveis nesse tipo de prancha.

aaaa

É bom pra galera que tem preconceito contra o esporte mudar de opinião.

aaaaa

As pranchinhas e funs também aproveitaram as ondas.

aaaa

Havia um certo crowd na água.

aaaa

Do lado de fora, eu estava adorando! Consegui algumas imagens bacanas!

Ficamos por ali até anoitecer, mas se você tiver a oportunidade check também os dois pointbreaks mais ao sul – Little Point e Rockpile – tão perigosos e difíceis quanto os do norte.

No próximo post: nossa despedida da Ana no PB Shore Club

Almoço na Girard Ave.

A idéia inicial era curtir um almoço delicioso no The Brocktown Villa. O restaurante, que funciona em um bangalô construído em 1874, é especializado em peixes e frutos do mar. Já havia dado uma olhada no cardápio e minha boca enchia de água ao pensar no caldo de marisco a moda da casa e nos bolinhos de carangueijo que eu iria pedir. Tudo isso com uma vista incrível da mais linda praia da região, a La Jolla Cove.

O bangalo no qual o restaurante está instalado. Abaixo, La Jolla Cove, umas das praias mais lindas da região.

O bangalô no qual o restaurante está instalado. Abaixo, La Jolla Cove e suas águas azuis.


Ver mapa maior

Infelizmente o restaurante estava lotado e com uma espera de mais de duas horas. Tivemos que mudar de planos. Demos uma espiadinha na praia, que é realmente linda, e fomos para nossa próxima opção.

A Girard Gourmet fica na Girard Ave, uma das principais ruas de La Jolla.


Ver mapa maior

O lugar oferece sanduíches, saladas, doces e outros pratos prontos para serem consumidos no local ou levados para casa e é o que os americanos costumam chamar de Deli – uma abreviatura de delicatessen.

Fachada, vitrine e balcão da Girard Gourmet.

Fachada, vitrine e balcão da Girard Gourmet.

Havia muitos pratos da cozinha italiana, como lasagnas e massas, além de berinjela recheada, risotos e  legumes. Nós escolhemos um macarrão com molho branco e salmão. Você pede, a atendente faz um prato bem servido e esquenta no microondas.

O balcão de pratos, nossa escolha e a sobremesa.

O balcão de pratos, nossa escolha e a sobremesa.

Comemos mais dois cookies – esses da foto – e gastamos menos de $20 com as bebidas. Estava uma delícia, tanto que voltamos no dia seguinte.

A Girard Ave, além de alguns restaurantes tem também inúmeras lojas.  A essa altura da viagem, eu já não tinha mais muito o que comprar, mas – sempre tem um ‘mas’ quando se trata de assunto – achei coisinhas tão bacanas por ali que sai com algumas sacolas!

As palmeiras estilo Bervelly Hills da Girard Ave:


Ver mapa maior

Mais informações:

The Brocktown Vila

1235 Coast Blvd. – La Jolla, CA

http://www.brocktonvilla.com/

 

Girard Gourmet

7837, Girard Ave – La Jolla, CA

Para ver o Menu, clique aqui.

La Jolla Shores

Tiramos o nosso primeiro dia em San Diego para explorar o bairro em que estávamos hospedados. La Jolla é conhecido por suas mansões e restaurantes requintados que trazem ao lugar um ar de balneário elegante. Considerada a comunidade mais rica de San Diego, possui o metro quadrado mais caro da cidade. Tudo isso tem um motivo e sem dúvida foi a natureza quem trouxe toda a atenção inicial para o bairro.

Os 11 km de costa são permeados por rochedos e falésias que juntos ao oceano Pacífico deixam a paissagem arrebatadora e única. As construções se aproveitam desses atributos e se encaixam entre as formações do relevo, tendo o azul do mar como plano de fundo. Nenhum dos lugares que visitamos na viagem se parecem com o litoral de La Jolla – talvez Laguna Beach se aproxime um pouco por também ter praias pequenas e protegida. Nós ficamos realmente impressionados com a beleza das praias e concluímos que nome La Jolla, que significa ‘A Jóia’ em português, foi uma escolha muito apropriada para batizar o bairro.

Percorra o mapa para observar a vista aérea das casas construídas a beira das falésias e rochedos:


Ver mapa maior

As principais praias do bairro são Windansea – onde ficava nosso hotel, La Jolla Children’s Pool – mais conhecida como a praia das focas, La Jolla Cove – a mais linda e protegida de todas, La Jolla Shores – a maior e mais freqüentada e Black’s Beach – a que tem as melhores ondas.

Mapa das praias

Decidimos começar conhecendo a praia de La Jolla Shores, a mais freqüentada da região.  A praia é longa – para os padrões do lugar – e possui uma areia branca e macia. As ondas são pequenas e com boa formação, ótimas para iniciantes.  Estacionamos no espaçoso Parking Lot e fomos curtir o sol.


Ver mapa maior

A praia é relativamente longa e tem clima família.

A praia é relativamente longa e tem clima família.

As ondas são ótimas para iniciantes.

As ondas são ótimas para iniciantes.

Diferente das praias do Brasil, não é permitido consumir bebidas alcólicas nas praias americanas. Você também não vai encontrar nenhum tipo de quiosque ou barraquinha e muito menos ambulantes vendendo qualquer produto. Por isso é importante levar pelo menos uma garrafinha de água.

A praia estava relativamente cheia – mesmo sendo uma segunda feira – e o clima era bem família. A água, como não podia ser diferente, estava bem gelada, apesar do sol e do clima quente.

Passamos cerca de três horas por ali e saímos em busca de um lugar pra almoçar. Mas isso fica pro próximo post.

Nosso hotel em La Jolla, SD

Como eu já comentei por aqui, San Diego foi uma das partes mais sem planejamento da viagem. Além de não ter achado tanta informação sobre a cidade, nós já estávamos viajando à 20 dias e nossa vontade de fazer passeios para turistas já não era tão grande. Isso influenciou bastante a escolha da localização da nossa hospedagem.  Pra conhecer San Diego mesmo, o melhor é ficar na região do Gaslamp Quarter. Dali você vai ter fácil acesso a todas as regiões, compras e pontos turísticos.

Como essa não era a nossa itenção optamos for ficar em uma das regiões mais charmosa de San Diego. La Jolla (pronuncia-se La Roia) possui um dos m² mais caros da cidade e é cheia de mansões.


Ver mapa maior

Nosso hotel não era tão chique ou charmoso assim, mas foi uma ótima opção custoxbenefício. O Travelodge é uma rede de hotéis e motéis que traz como premissa a melhor tarifa unida a um atendimento cordial e instalações confortáveis e limpas.

A unidade de La Jolla – existem sete na região de San Diego conta com piscina, lavanderia à disposição dos hóspedes, estacionamento e internet wi-fi grátis além café da manhã incluso na diária – bagels, cream chesse, suco de laranja (de caixinha), muffins, leite, cereais, café e bananas – uma raridade nos hotéis americanos. Nosso quarto tinha ar condicionado, frigobar, microondas, cafeteira, secador de cabelo, ferro de passar e era espaçoso e limpo. O atendimento da recepção foi excepcional. Mas o melhor de tudo era a localização: o Travelodge La Jolla Beach fica a um quarteirão da Wind’n Sea Beach, aonde de quebra, rolam umas ondinhas.

Fachada, recepção e piscina.

Fachada, recepção e piscina.

O quarto e o banheiro.

O quarto e o banheiro.

O café da manhã e a praia próxima.

O café da manhã e a praia próxima.

O mapa mostra a distância da praia:


Ver mapa maior


Ver mapa maior

O preço também foi excelente, pagamos um total de $265, já com as taxas, por quatro dias de hospedagem.

Confesso que a essa altura da viagem, já não tinha mais muito pique para as fotos. Eu não pretendia escrever um blog na época, deixei a preguiça falar mais alto e não me preocupei em tirar fotos do hotel e do café da manhã – arrependimento mata? As fotos do post são do site, mas prometo, condizem totalmente com a realidade.

Passamos no hotel só para fazer Check In e guardar as coisas. Saímos logo, com destino a Pacific Beach, para encontrar com uma das minhas mais queridas amigas que estava morando por lá. Mas isso eu vou contar no próximo post.

Travelodge La Jolla Beach
6750 La Jolla Blvd, Nautless & La Jolla Blvd, La Jolla, CA 92037 US
Mais informações: http://www.lajollatravelodge.com/