Como evitar um ataque de tubarão na Califórnia

Domingo, 19 de junho, manhã no Brasil. Ao vivo na TV, a final de uma das etapas mais consistentes do tour mundial de surfe. Na água, dois dos principais surfistas da atualidade. Sentei com o Gui no sofá para assistir o que prometia ser um espetáculo. Julian Wilson deu inicio ao show, deslizando por uma onda onde completou mais de quatro manobras . A câmera então foca no quatro vezes campeão mundial Mick Fanning, sentado no outside, esperando pela série que vinha adiante. A partir daí, o espetáculo se transforma em um dos mais adrenalizantes, assustadores e históricos momentos da história do surfe. Por longos segundos, o atleta luta contra um tubarão enorme e sai ileso resgatado pelos jetskys.

O acontecimento mobilizou toda a comunidade do surfe e boa parte do mundo.

Vai ser difícil sentar no outside e não pensar na cena surreal. Ainda mais se esse outside pertencer a uma das praias da Califa, onde diversos casos de ataques já foram relatos.

sharks1020

Segundo o pesquisador Ralph S. Collier, presidente da Shark Research Committee as estatísticas estão aí pára nos ajudar e evitar as praias onde os ataques são freqüentes, ajuda e muito. Vamos à elas então:

222-Lz9oL.AuSt.55

– 114 ataques de tubarão ocorreram na Califórnia de 1926 a 2014, 10 sendo fatais;
– Das vítimas, 46% eram mergulhadores, 38%surfistas, 11% nadadores e 5% estavam em kayaks;
– A maioria dos ataques ocorreu entre os meses de agosto a outubro;
– O grande vilão da Califórnia é o Tubarão Branco, responsável por 87% dos ataques;
– As cidades com casos de ataques são: San Diego (17), Humboldt (15), Monterey (11), Santa Barbara (11, incluindo o mais recente em 2012), Marin (10), San Luis Obispo (10), San Mateo (9), Sonoma (8), Santa Cruz (7), Los Angeles (6), San Francisco (5), Del Norte (2), Mendoncino (1), Alameda (1), Orange (1).

 

download

Mas se cair na  na água for inevitável, aí vão algumas dicas sobre como evitar um ataque:

Surf Beach, em Santa Barbara.

Surf Beach, em Santa Barbara.

– Evite roupas com cores fortes ou contrastantes, que são facilmente vistas pelos tubarões em baixo da água.  Lycras ou wetsuits amarelos, brancos ou vermelhos são os mais visíveis, sendo cinza e azul escuro as melhores opções de cores.
– Joias, relógios e qualquer material que reflita luz também devem ser evitados;
– Se você avistar um tubarão na água, primeiramente, fique calmo (como se fosse possível);
– Caso o tubarão não tenha te visto, não nade ou reme rapidamente, para não chamar ainda mais a atenção (como se isso fosse possível também);
– Acompanhe e tente entender se o animal está nadando ao seu redor e preparando um ataque (alguém aí tem essa habilidade?)
– Tente chegar à obstáculos, cantos, encostas, pedras, barcos ou águas rasas pra se proteger (mas lembre-se, sem nadar rápido);
– Se estiver mergulhando de cilindro, faça bolhas de ar. Tubarões não gostam de bolhas; (?)
– Se o tubarão atacar defenda-se atingindo o animal na aérea dos olhos e nariz. Eles são fortes, mas podem ser derrotados, como no caso de Mick Fannig (aprendemos que usar as quilhas da prancha é uma ótima ideia);
– Se mesmo assim o tubarão conseguir te pegar, nade até a praia e estanque os sangramentos com roupas e tecidos até que a ajuda chegue.

 

Seja responsável e consciente, mas não paranoico. A chance de um surfista ser atacado é de uma em 11 milhões. Estaticamente é muito mais perigoso andar de carro, se afogar, morrer devido a um desastre natural, ser atingido por um raio ou ainda andando de bicicleta.

 

O surfe vale o risco, sem dúvida!

15th Street, Newport Beach -Pic: Drift Wood

15th Street, Newport Beach -Pic: Drift Wood

Fonte: http://www.flmnh.ufl.edu/fish/sharks/statistics/gattack/mapca.htm
http://news.nationalgeographic.com/2015/07/shark-attacks-in-the-us/
http://www.sharkresearchcommittee.com/

 

 

I <3 Cali por… Victor Bernardo, surfista profissional e promessa do surf mundial

NOVIDADE NO DESTINO CALIFORNIA!

I Cali por…  traz dicas e perspectivas  de outras pessoas, que assim como nós, tem a Califórnia  como um dos seus lugares preferidos no mundo. Surfistas profissionais, viajantes inveterados, skatistas e até nossos mais fiéis leitores respondem à um Bate-volta com tudo que você precisa saber para planejar sua viagem!

Na estréia o surfista profissional Victor Bernardo. Espero que gostem!

_________________________________________________________________________

Se você ainda não ouviu falar do surfista Victor Bernardo, não se preocupe! É só uma questão de tempo pra esse nome lhe soar tão familiar quando o de Gabriel Medina ou Felipe Toledo. Integrante da tão falada Brazilian Storm, Victor é considerado por publicações de peso, como a Surfing Magazine,o melhor surfista do globo com menos de 19 anos.

Surfing Magazine, 2015

Surfing Magazine, 2015

Quando conheci o Victor ele não tinha nem 10 anos e já arrasava nos aéreos. Naquela época Victor batia cartão na praia de Taguaíba no Guarujá, sempre acompanhado do seu pai que observava atentamente o desempenho do filho da areia.

O trabalho sério e focado fez de Victor o que muitos previam: um surfista completo, que quebra nas manobras aéreas e também manda muito bem no surf de linha.

Além disso, Victor tem como trunfo uma alegria contagiante, que leva estampada em um sorriso lindo e que fez dele querido pela grande maioria da comunidade do surf. Em uma de suas viagens pelo mundo – Tahiti, França, Indonésia, Austrália e México estão entres os países visitados por ele – conquistou o coração da família Marshall. Após morar por três meses com eles em Encinitas – San Diego em 2013, Victor ganhou de presente – além do primeiro lugar no Volcom VQS – uma segunda casa na Califórnia.

“Temos uma relação muito boa! Eles cuidaram e cuidam muito bem de mim no tempo que fiquei e sempre que venho pra Califa.”

Fazem parte da família os surfistas Jake (16), Nick (13) e Connor (11), grommets que tem mandado bem nos campeonatos e prometem dar trabalho para o próprio Victor no futuro.

 “Eles são super gente boa e estão sempre felizes e sorrindo. São o tipo de pessoa que gosto de ter por perto.”

Marshall FAmily and Victor

Foto: Instagram

A relação com a família faz de Victor praticamente um local “Acho que vou morar aqui um dia, (tenho vontade)!”, ele me confessou dias após ter perdido nas quartas do Volcom TCT 2015, em Trestles. Sobre o campeonato e o privilégio de surfar em Trestles com apenas mais alguns surfistas ele disse:

“Competir em Trestles foi muito irado! Pena que não consegui fazer mais baterias. Tive 2 baterias de 20 minutos e já consegui me divertir. É engraçado por que você já está tão acostumado com o crowd, que acaba ficando meio perdido no pico quando surfa praticamente sozinho.”

Sem problemas Victor! Nós, meros mortais, nunca vamos passar esse “perrengue”rs.

Victor Bernardo lost in the Quarters, but he forgot to stop being happy PhotoPeter Taras

Foto: Peter Taras

Confira nosso Bate-Volta e as dicas do Victor sobre a Califa:

Uma música que represente a Califórnia pra vc: All about U   – dê play no vídeo e curta o resto da entrevista ao som de 2pac.

Se fosse morar na Califórnia, moraria em: Encinitas, San Diego (clique aqui pra ver o mapa)
Se você for pra Califórnia não deixe de: Se for no inverno, levar umas roupas de frio. E se for no verão, leve umas roupas que usamos no Brasil.
Melhor surfista Californiano: Pergunta difícil!  Posso dizer que o Dane Reynolds é bem completo, mas têm vários que gosto muito de assistir surfando.
O que você leva no seu quiver: Pranchas maroleiras e prancha do dia-dia.
Perfect Wetsuit: No inverno, long 4.3. No verão, long 2.2.
Aonde você leva sua prancha pra arrumar: Ding King, em Encinitas (clique aqui para ver o site)
Melhor onda: Trestles, San Clemente (clique aqui para saber mais)
Melhor onda sem crowd: Seaside (clique aqui para ver o mapa)
A pista de skate mais irada é: Venice Skate Park, Venice Beach (clique aqui para saber mais)
Melhor praia pra ir com a galera: Cardiff (clique para ver o mapa)
Uma balada: Nunca fui.
California Girls are unforgettable? For sure!!!
Comida inesquecível: BURRITO!
O melhor da Califórnia é: Como você é recebido!
O pior da Califórnia é: O crowd  e o trânsito.

 

Siga o Victor nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/victor.bernardo.9?ref=ts&fref=ts

Instagram: https://instagram.com/victorbernard0

Twiiter: https://twitter.com/victorbernardo_

 

11351290_471968242969277_2112382537534825623_n

Recebendo o prêmio no campeonato que o levou para a Califa. Foto: Instagram

Trestles, 2015.

Trestles, 2015. Foto: Gabriel Andre

Trestles in action, 2015

Trestles in action, 2015. Foto: Jon Phill Potts

Black's Beach, 2015.

Black’s Beach, 2015. Foto: Canavarro Photography

San Clemente, 2015

San Clemente, 2015. Foto: Canavarro Photography

 

 

SF Jazz Festival

calendar-sfjf33-2015

 

O festival reúne nomes do jazz como Snarky Puppy, Julian Lage and Chris Eldridge, Goapele, Shelby Lynne, Campbell Brothers, John Scofield Quartet with John Medeski, Robert Glasper Trio, Wil Blades & Dr. Lonnie Smith, Pedrito Martinez, Tribute to Ernesto Lecouno with Chucho Valdes, Gonzalo Rubalcaba & Michel Camilo dos dias 9 a 21 de junho.

Os shows acontecerão em três locais diferentes: SFJAZZ Center’s Robert N. Miner Auditorium, Joe Henderson Lab e no Davies Symphony Hall.

SF Jazz Festival

calendar-sfjf33-2015

 

O festival reúne nomes do jazz como Snarky Puppy, Julian Lage and Chris Eldridge, Goapele, Shelby Lynne, Campbell Brothers, John Scofield Quartet with John Medeski, Robert Glasper Trio, Wil Blades & Dr. Lonnie Smith, Pedrito Martinez, Tribute to Ernesto Lecouno with Chucho Valdes, Gonzalo Rubalcaba & Michel Camilo dos dias 9 a 21 de junho.

Os shows acontecerão em três locais diferentes: SFJAZZ Center’s Robert N. Miner Auditorium, Joe Henderson Lab e no Davies Symphony Hall.

SF Jazz Festival

calendar-sfjf33-2015

 

O festival reúne nomes do jazz como Snarky Puppy, Julian Lage and Chris Eldridge, Goapele, Shelby Lynne, Campbell Brothers, John Scofield Quartet with John Medeski, Robert Glasper Trio, Wil Blades & Dr. Lonnie Smith, Pedrito Martinez, Tribute to Ernesto Lecouno with Chucho Valdes, Gonzalo Rubalcaba & Michel Camilo dos dias 9 a 21 de junho.

Os shows acontecerão em três locais diferentes: SFJAZZ Center’s Robert N. Miner Auditorium, Joe Henderson Lab e no Davies Symphony Hall.

SF Jazz Festival

calendar-sfjf33-2015

 

O festival reúne nomes do jazz como Snarky Puppy, Julian Lage and Chris Eldridge, Goapele, Shelby Lynne, Campbell Brothers, John Scofield Quartet with John Medeski, Robert Glasper Trio, Wil Blades & Dr. Lonnie Smith, Pedrito Martinez, Tribute to Ernesto Lecouno with Chucho Valdes, Gonzalo Rubalcaba & Michel Camilo dos dias 9 a 21 de junho.

Os shows acontecerão em três locais diferentes: SFJAZZ Center’s Robert N. Miner Auditorium, Joe Henderson Lab e no Davies Symphony Hall.

SF Jazz Festival

calendar-sfjf33-2015

 

O festival reúne nomes do jazz como Snarky Puppy, Julian Lage and Chris Eldridge, Goapele, Shelby Lynne, Campbell Brothers, John Scofield Quartet with John Medeski, Robert Glasper Trio, Wil Blades & Dr. Lonnie Smith, Pedrito Martinez, Tribute to Ernesto Lecouno with Chucho Valdes, Gonzalo Rubalcaba & Michel Camilo dos dias 9 a 21 de junho.

Os shows acontecerão em três locais diferentes: SFJAZZ Center’s Robert N. Miner Auditorium, Joe Henderson Lab e no Davies Symphony Hall.

California Historical Landmarks: o que são e como encontra-las

Vira e mexe, andando pelas ruas da Califórnia e pontos turísticos, você vai se deparar com placas como essa:

hotel del coronado

O que me chamou a atenção é que além das informações sobre o local, elas seguem um padrão e tem uma numeração, no exemplo “Historical Landmark n°844”. Logo já entendi que isso deveria ser um tipo de organização, classificação dos pontos importantes para a história do estado, mas quis ir mais a fundo e entender quais exatamente seriam os critérios para a escolha desses pontos, quantos seriam e aonde se localizavam.

Atualmente existem 1.111 “Califonia Historical LandMarks”, e esse número muda constantemente, conforme novos locais são adicionados a lista – ou seja, nem adianta querer conhecer uma por uma. A não ser que você seja meio louco, como o americano David que fez isso e ainda criou um site chamado Landmark Quest, aonde ele faz uma breve descrição de cada uma que visitou, com direito a fotos e mapa. Para vocês terem noção, ele começou a “busca” em 1997 e conseguiu visitar até agora 917, tendo ainda 194 para encontrar. Não satisfeito ele criou uma outra lista, a California County High Points, aonde estão os picos mais altos de cada County e também quer visitar um por um.

Tem louco pra tudo nesse mundo!

Mas, voltando as California Historical Landmarks

O programa é uma iniciativa do governo americano e visa resgatar as raízes históricas do país. Especificamente na California, a idéia é expressar a diversidade do patrimônio e herança cultural do estado, incluindo os períodos pré-colombiano, espanhol e mexicano, além da atividade da Marinha e a exploração do espaço. São classificados prédios, estruturas e lugares que tem uma significância histórica para o estado como um todo e que seguem ao menos um dos seguintes critérios:

– o primeiro, último, único ou mais significante do seu tipo no estado ou região (norte, centro ou sul).

– associado a um individuo ou grupo que teve profunda influência na história da Califórnia.

– um protótipo ou um perfeito exemplo de um período, estilo, movimento arquitetônico ou construtivo, ou o melhor trabalho remanescente na região de um arquiteto ou designer pioneiro.

Portanto, você irá encontrar na lista desde píers à igrejas, de barcos à pontes e hotéis. Abaixo cito as que considero mais relevantes e que estão dentro do eixo turístico:

San Francisco – 48 landmarks:

#327  Mission San Francisco – Já falamos sobre as missões aqui e aqui e sobre essa especificamente aqui. Erguida em 1776, foi a sexta a ser construída e a primeira da região.

#623  Union Square – Nosso post sobre o local está aqui. Atualmente centro de compras já foi o local usado para reuniões decisivas para a cidade.

#974 Golden Gate – Dispensa apresentações.

Entre SF e LA

# 930 Pigeon Point Lighthouse – O maior farol da costa oeste, contruído em 1872. Post aqui.

# 1037 Santa Barbara Couthouse – Está na nossa lista sobre “O que faltou fazer em Santa Barbara”. Construída em 1929, representa com maestria o período espanhol, cheia de detalhes lindos.

Los Angeles – 105 landmarks

# 658 Western Hotel – Construído em 1876,era considerado centro da atividade social no ínicio da cidade.

#1041 Childhood Home of the Beast Boys – Local aonde os meninos da famosa banda cresceram e gravaram suas primeiras músicas.

# 1018 Manhattan Beach State Pier – O mais antigo da Califórnia, construído em 1917.

Orange County – 26 Landmarks

# 189 Dana Point – A praia era o principal porto da região em 1835.

# 959 Balboa Pavilion – O prédio é lindo e fica em Balboa Island, que vale super a pena conhecer.

#1050 Crystal Cove Historic District – O post sobre o local está aqui. Na minha opnião uma das mais incríveis Landmarks.

San Diego – 74 Landmarks

#830 Old Town – Também fizemos um post sobre o local aqui. Mais incrível ainda do que a última. Visita obrigatória.

#844 Hotel Del Coronado – Construído em 1887, era o preferido de celebridades e pessoas importantes. Vale a visita, post aqui.

#1030 Star of India – A mais antiga fragata em operação, foi construída em 1863 e faz parte do Maritime Museum, com post aqui.

#1031 Ferryboat Berkeley – A balsa, construída em 1898, fazia a travessia entre a baia de San Francisco e o continente. Também está no acervo do Maritime Museum e até casamentos podem ser realizados nela.

No fim, achei bem legal toda essa história e que o objetivo do projeto foi totalmente alcançado. Quem sai ganhando é o turista que passa a compreender melhor a história do local que está visitando, de uma forma organizada e didática!

A lista completa como todas as informações está aqui: http://www.landmarkquest.com/tally.htm.

Leve a sua listinha e de seus checks!

E se você já passou pela Califa, qual das Landmarks você já visitou? Tem alguma imperdível que não foi para a lista acima?

Hurley Pro At Trestles e as reais chances de Gabriel Medina trazer o primeiro Titulo Mundial de Surf para o Brasil

hurley trestles 2014

Começa amanhã a próxima etapa do WCT que será realizada na nossa onda preferida da Califórnia, Trestles. O pico fica em San Clemente, cidade ao sul de Los Angeles e norte de San Diego. Já fizemos um post sobre o lugar aqui.

A etapa será super importante e decisiva para o futuro do surfista Gabriel Medina no tour. Após derrotar o veterano e onze vezes campeão mundial Kelly Slater durante uma final emocionante em Teahupoo, Gabriel – que já estava em primeiro colocado na classificação geral – passou a ter chances reais de conquistar o título mundial, inédito para o esporte no Brasil.

medina 3

medina 2

medina2

Restam apenas quatro etapas para o fim do circuito: Trestles, na Califórnia; Hossegor, na França; Peniche, em Portugal e Pipeline, no Havaí. Gabriel tem um bom histórico nas ondas  desde que entrou para o WCT em 2011, com 17 anos.

Hurley Pró At Trestles – San Clemente, Califórnia, USA
2011 – 13° lugar – Derrotado no round 3 por Josh Kerr. (Kelly Slater venceu a etapa)
2012 – 9° lugar – Desclassificado no round 4, em uma disputa contra Joel Parkinson e Josh Kerr.(Kelly Slater foi campeão novamente).
2013 – 13° lugar – Perdeu no round 3 para C.J. Hobgood.

 

Quicksilver Pró France – Hossegor, França
2011 – 1° lugar – Venceu após uma final polêmica contra o australiano Julian Wilson.
2012 – 5° lugar – Foi derrotado nas quartas de final por Joel Parkinson.
2013 – 2° lugar – Perdeu o primeiro lugar para Mick Fanning.

 

Moche Rip Curl Pro Portugal – Peniche, Portugal
2011 – 13° lugar – Derrotado no round 3 por Chris Davidson.
2012 – 2° lugar – Em mais uma final polêmica, Gabriel foi derrotado por Julian Wilson.
2013 – 25° lugar – Perdeu para o também brasileiro Alejo Muniz no round 2.

 

Billabong Pipe Masters – Haleiwa, Hawai, USA
2011 – 5° lugar – Derrotado na quartas de final por Kierren Perrow, vencedor da etapa.
2012 – 9° lugar – Eliminado no round 5 por Yadin Nicol.
2013 – 13° lugar – Derrotado no round 3 por John John Florence, que enfrentou Kelly Slater na final, perdendo para o veterano.

 

Apesar de não ter sido nas etapas principais, Gabriel já venceu em Trestles. A conquista aconteceu em 2012, durante o Nike Lowers Pro, uma etapa complementar do tour. Em contrapartida, Kelly Slater – a maior ameaça ao título de Medina –  tem no currículo sete vitórias na onda que ele chama de “casa”.

Na semana da vitória de Gabril em Teahuppo, Kelly publicou no seu Instagram: “(…)Ele é o cara mais perigoso no mundo do surf. Por que? Só esse ano ele ganhou em Snapper, uma onda dominada por Regulares a mais de 10 anos. Ele ganhou em Fiji, uma das ondas clássicas do tour. E agora ele ganhou o Billabong Pro Tahiti em ondas gigantes. (…)Mesmo que eu vá fazer de tudo para para-lo esse ano, sou grande fã do seu surf e ele é realmente um ótimo cara.(…)”.

gabriel kelly

Pois é Kelly, mas a missão de pará-lo não está das mais fáceis. Matematicamente falando as chances de Medina alcançar seu objetivo são enormes.

Sem título

Para ultrapassar Gabriel nessa próxima etapa, Kelly precisa ficar em primeiro – o que somará 10 mil pontos a seu placar – e Medina precisa deixar a competição no máximo no Round 3 – ficando em 13° lugar e somando apenas 1750 pontos. Se Kelly ficar em segundo –  mesmo que Gabriel não participe da prova por ter se machucado – pé de pato, mangalô, 3 vezes – o fenômeno do surf brasileiro mantém seu lugar no topo. O mesmo acontece caso Joel Parkinson – 3° colocado e atual Campeão Mundial –fique em 1° lugar.

Logo, a possibilidade de Gabriel Medina se manter no topo até a próxima etapa é praticamente certa.

O ideal é que ele pontue bem nas próximas três etapas e chegue ao Pipe Masters – uma das ondas mais temidas do circuito – com folga suficiente para se permitir não ir tão bem. É muito cedo ainda para fazermos todas as previsões, mas é claro que se Slater e Parko não forem tão bem nessas mesmas etapas, a gente fica ainda mais pertinho do título.

Vamos torcer, vibrar e enviar muita energia positiva! As baterias serão transmitidas ao vivo no site a partir do dia 09/09/14. Acompanhe nossa página no Facebook para atualizações.

Vai com tudo Gabriel! O Brasil está com você!

Como usar o Google Maps para planejar sua próxima viagem

Entre as perguntas mais freqüentes que recebemos aqui no blog estão sempre as referentes a localização. “Quanto tempo demoro para ir de carro de San Francisco a Santa Cruz?”, ou “Qual a ordem das cidades que devo parar no trajeto pela costa?” e ainda “Meu hotel em San Diego fica perto do Gaslamp Quarter?”.

Para essas e outras perguntas a melhor resposta está sempre no Google Maps.

A ferramenta é companheira inseparável de quem vai viajar para qualquer parte do mundo. É à ela que você deve recorrer desde o inicio do planejamento quando quer decidir por qual cidade chegar ou partir, verificar se o seu hotel é bem localizado ou se vai precisar ou não alugar um carro. Na hora de fechar o roteiro o Google Maps também ajuda mostrando o tempo que você demora para percorrer os trajetos, que restaurantes ficam próximos das atrações que você vai visitar e por aí vai.

E ele não vai te abandonar tão cedo: chegando no seu destino, ele é ótimo para indicar caminhos e opções de transporte público.

Portanto, posso afirmar que na minha humilde opinião o Google Maps é uma das melhores coisas que a tecnologia trouxe para o mundo das viagens.

I <3 Google Maps!

I love Google Maps

Apesar de já existirem muitos posts por aí falando sobre a ferramenta decidi escrever a minha versão, porque parece que ainda há muita gente que não usa essa maravilha da tecnologia.

Não vou ficar explicando como você usa tecnicamente os mapas, pois isso o Google já faz por você aqui. Vou apenas mostrar em que situações e como eu me beneficio dele para planejar minhas viagens, dando exemplos específicos para a Califórnia, mas que podem e devem, ser utilizadas para qualquer parte do mundo.

AS PRINCIPAIS FUNÇÕES DO GOOGLE MAPS PARA PLANEJAR SUA VIAGEM PARA CALIFÓRNIA

1. Ser um Mapa

A função mais primitiva e básica do Google Maps é SER UM MAPA. Parece óbvio, mas com tantas funcionalidades sinto que muita gente esquece disso.

Quando uma viagem envolve múltiplas cidades ou países a primeira coisa que você deve fazer é olhar o mapa do seu destino. Esse é o caso da Califórnia. Você não consegue montar um roteiro sem conhecer a localização de cada cidade. De maneira geral explore a região:

– Comece digitando a palavra Califórnia na caixa de busca.

Digite California

– Altere os modos de visualização entre satélite e mapa e observe de que lado fica o oceano, quais são as fronteiras, o que fica no norte e o que fica no sul.

Satelite

Modo mapa

– Dê zoom nas cidades e veja quais são próximas umas das outras. Clique nos nomes de cada uma e veja informações na barra lateral esquerda.

Clique no nome da cidade para obter mais informações

Teste agora:

2. Traçar Rotas Ponto a Ponto

A função de rotas não se limita à de um GPS. Não se esqueça que uma viagem para Califórnia é por vocação uma “Road Trip”, o que significa que você irá passar um bom tempo no carro, percorrendo estradas e passando por diferentes cidades. Logo, essa função irá ajuda-lo muito no planejamento e vai ser primordial na hora de tomar diversas decisões.

– Estude as possíveis rotas para saber como escolher o melhor caminho. Ninguém que está visitando a Califórnia quer ir de San Francisco para Los Angeles sem passar pelo Big Sur, mas a primeira opção de trajeto envia você pela I-5, uma estrada mais rápida e sem graça. Você só vai saber como programar seu GPS se conhecer o mapa e as alternativas. Note que é possível alterar a rota no Google Maps, arrastando a linha azul.

– Anote quanto tempo você vai levar do aeroporto ao hotel, do hotel para seus pontos de interesse ou de uma cidade a outra. Esses dados são essenciais para deixar sua programação redondinha.

É possível traçar uma rota com múltiplos pontos.

É possível traçar uma rota com múltiplos pontos.

– Descubra se o seu hotel é bem localizado simulando o trajeto entre ele e os locais que você pretende visitar.

– Você pode ainda trocar o seu meio de transporte do carro para diversas outras opções. Se pretende ir a pé altere para o ícone do pedestre e o Google te diz quantos quilômetros e o tempo médio que você irá gastar até o seu destino. Se quiser ir de bicicleta ele indica onde há ciclovias e quais rotas apresentam menos inclinação. Uma nova função permite até que você cheque os vôos disponíveis entre os locais e cote os preços através do Google Travel. Ainda há a opção dos transportes públicos, o que nos leva ao próximo tópico.

Na barra lateral é possível acompanhar a inclinação do trajeto de bicicleta.

Na barra lateral é possível acompanhar a inclinação do trajeto de bicicleta.

3. Informar Itinerários

Para quem não vai estar de carro essa é a função que substitui a anterior. Através dela é possível obter itinerários de transporte público dentro e entre as cidades.

Eu já levo boa parte deles anotados no meu roteiro para não perder tempo pesquisando isso no destino. Por exemplo: meus planos são sair do hotel em San Francisco para ir ao Golden Gate Park, de lá ir para China Town e retornar ao hotel. Simulo a rota no Google e anoto aonde tenho que pegar os ônibus, os nomes das linhas, horários e em que pontos descer.

Itinerário

Sei que nem todos tem essa paciência, mas garanto que é extremamente recompensador acordar de manhã e não ter essa preocupação. Também é ótimo não precisar ficar perguntando para as pessoas na rua em uma língua que não é a sua.

Mas se você não é muito dado a planejamentos, ou ainda se algo saiu diferente do planejado – o que acontece sempre, tá gente?! – o app do Google Maps para celular está aí para te salvar.

É possível ainda traçar itinerários entre cidades e verificar as opções entre trêns e ônibus.

4. Mostrar como o lugar é

Uma das funções que eu mais gosto no Google Maps é o Google Street View.

Com ela é possível “caminhar pela rua” e ver tudo da perspectiva de um pedestre. É só arrastar o bonequinho amarelo no canto inferior esquerdo para o ponto desejado. A funcionalidade desse recurso é infinita e a cada dia descubro novas utilidades para ele.

– Verifique se o seu hotel é bem localizado: caminhe pelo quarteirão, veja a fachada, o tamanho das janelas… enfim! É como estar lá, vendo tudo da rua.

Vista da rua - Hotel

Vista da rua - rua

– Conheça a aparência dos lugares que deseja visitar. Se você quer, por exemplo, ir ao restaurante x, veja como ele é visto da rua. Na hora que você chegar lá não vai ter duvidas que chegou ao seu destino.

Memorize partes importantes de trajetos como saídas de Freeways ou entradas de ruas. Por exemplo: virar duas ruas depois do prédio azul.

– Verifique se há vagas de estacionamento, se é permitido estacionar ou ainda se há parquímetros.

– Veja como é o ponto de ônibus ou estação de metro que está no seu itinerário. Dá pra imaginar se é seguro durante a noite, se há bastante comércio próximo, etc.

5. Localizar serviços específicos dentro de uma região

Para utilizar esse recurso é só digitar o nome do serviço na caixa de busca. Pode ser algo genérico como “Drug Store”, ou “Restaurant” ou ainda algo mais específico como o nome de uma loja. Assim que você der “enter” irão aparecer diversos pontinhos no mapa que representam locais aonde oferecem o serviço buscado.

Captura de Tela 2014-08-01 às 18.27.19

Essa função é útil para:

– Verificar se há e quais são os serviços próximos ao seu hotel.

– Descobrir se aquela loja ou restaurante específico tem uma unidade na região selecionada.

– Escolher um restaurante para almoçar ou jantar que seja perto de uma atração ou ponto turístico que você irá visitar. Lembrando que ao clicar no nome do restaurante, um menu se abre a esquerda com mais informações, incluindo reviews de clientes e fotos do local.

6. Montar um mapa personalizado

Depois de coletar tantas informações seria perfeito poder salva-las e isso é possível através dos mapas personalizados.

Para criar seu mapa você deve estar logado com uma conta Google e acessar o Maps Engine https://mapsengine.google.com. Clique em “Criar novo mapa”.

Maps Engine

Nesse mapa você vai poder adicionar todos os seus pontos de interesse, rotas e observações. Depois, é possível compartilha-lo através das redes sociais ou e-mail, imprimi-lo ou incorpora-lo ao seu site, como eu fiz aqui.

Para planejar uma viagem eu normalmente faço um mapa geral, com as rotas entre cidades e paradas.

Depois faço um de cada região marcando todos os lugares que pretendo visitar. Como mencionei no post “Como planejar sua viagem para a Califórnia em 10 passos”, é importante agrupar as atividades por bairro ou região para otimizar o tempo. Com esse mapa fica bem fácil de visualizar o que fica perto do que e assim organizar o seu roteiro dia-a-dia.

———————————————————————————————–

Depois de hoje não quero ver mais ninguém perguntando quanto tempo demora pra ir de Los Angeles pra San Diego, se o hotel y é perto do lugar x ou se dá pra ir a pé de Hollywood pra Santa Mônica hem?

Adoro quando vocês fazem comentários e amo ajudá-los no planejamento de tantas viagens, mas com o blog crescendo a cada dia e enquanto ele ainda for só um hobby, preciso da ajuda de vocês para essas questões mais simples.

Falando em ajuda…

Alguém tem alguma outra dica para o planejamento de viagens através do Google Maps? Compartilhe com a gente.

Você fez seu mapa personalizado e ele foi super útil no planejamento? Compartilhe com a gente.

Tem alguma dúvida com relação a utilização do Google Maps que não foi respondida acima? Compartilhe com a gente também.

E se você achou esse post útil e interessante, compartilhe com seus amigos.

Obrigada e até o próximo,

Caru