O.C. SSW Swell – April, 2014

Essa semana a combinação de um swell de sudoeste com ventos noroeste que atingiram a costa da Califórnia, geraram ótimas ondas em praias do Orange County como Newport, Huntington, Santa Ana e San Clemente.

Fizemos uma seleção das melhores fotos que circularam pela internet. Se você estiver por lá nesse feriado do dia do trabalho, aproveite! Ainda tem uma raspinha do swell rolando.

The Wedge, Newport Beach - Foto: Richard Fenwick

The Wedge, Newport Beach – Foto: Richard Fenwick

 

River Jetties, Santa Ana - Foto: Craig Larson

River Jetties, Santa Ana – Foto: Craig Larson

River Jetties, 72 Street, Newport Beach - Foto: Thiago Portes

River Jetties, 72 Street, Newport Beach – Foto: Thiago Portes

River Jetties, 72 Street, Newport Beach - Foto: Tad Collister

River Jetties, 72 Street, Newport Beach – Foto: Tad Collister

Pier South Side, Huntington Beach - Foto:

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach - Foto:

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Tad Collister

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Tad

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Tad Collister

 

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Diane Edmonds

Pier South Side, Huntington Beach - Foto: Tad

Pier South Side, Huntington Beach – Foto: Tad Collister

 

De Orange County a San Diego

Saímos de Balboa Island por volta da uma da tarde com destino a San Diego. O trajeto da casa da Linda até o hotel que ficamos em La Jolla em SD, demorou cerca de uma hora e meia.


Ver mapa maior

A estrada é ótima, larga e bem sinalizada como a maior parte das estradas americanas. Como saímos na hora do almoço precisavamos parar em um lugar para comer. Não conheciamos nada da estrada e nem tinhamos idéia da onde parar – como eu já comentei por aqui, San Diego foi a parte menos planejada da nossa viagem. Entramos em uma das saídas de Oceanside e ao me deparar com a seguinte placa não tive dúvidas de que era ali que eu queria comer.

IMG_4542-vert


Ver mapa maior

Todos que me conhecem sabem – e quem jé leu esse post do blog também– que eu sou apaixonada por Hot Dogs. Provar o meu “prato preferido” da “maior rede de hot dogs do mundo” era praticamente uma obrigação. Mas fato é que a experiência acabou se tornando uma grande decepção. Não sei se foi a loja, mas o Hot Dog estava horrível, engordurado, o pão seco. Pediamos também o famoso Corn Dog – era meu sonho comer um desses – e também não estava nada bom. Até as batatas fritas estavam ruins.

page

Acabei não tirando mais fotos, nem calculando quanto gastamos. Saímos de lá correndo querendo chegar logo no Hotel.

Alguém já comeu no Wienerschnitzel – duvido você conseguir pronunciar!-  e teve uma experiência diferente?

No próximo post: Nosso Hotel em La Jolla, San Diego

Roteiro Resumido – Orange County

Como combinamos aqui segue o roteiro resumido da nossa estada no O.C.. Ele é a continuação do Roteirinho de Los Angeles.

Dia 16 – 25/08 – Quinta Feira

Surf em Huntington Beach.

Almoço no Ruby’s Dinner, em cima do píer.

Chegada a casa da Linda.

Passeio por Balboa Island com por do sol.

Jantar no restaurante italiano Ciao.

 

Dia 17 – 26/08 – Sexta Feira

Passeio por Crystal Cove.

Almoço na praia, no Beachcomber Café.

Passeio por New Port, com passagem por Corona Del Mar e The Wedge.

Jantar e compras em Huntington Beach.

 

Dia 18 – 27/08 – Sábado

Surf em Trestles.

Almoço no Subway.

Compras Outlet Rip Curl.

Passeio por Laguna Beach.

Por do Sol em Balboa Island.

Jantar em casa.

 

Dia 19 – 28/08 – Domingo

Surf em Trestles.

Despedida de Balboa com Banana Frozen.

Saída para San Diego.

 

No próximo post: O que faltou fazer em Orange County

Nossa despedida de Balboa Island

De Laguna Beach fomos direto para Balboa tomar um banho e curtir nossa última noite na Ilha. Dar adeus a esse lugar não foi tarefa fácil: era tudo tão perfeito que nem parecia verdade.

O O.C. não é um destino tão comum para quem visita a California. As pessoas normalmente optam pelas grandes cidades e acabam deixando de lado pequenos lugares como esse. Posso afirmar que o O.C. trouxe tantas, ou até mais experiências inesquecíveis para nós, quanto San Francisco, LA ou San Diego.

Balboa é um lugar que parece não existir: as ruas são impecavelmente limpas, não há criminalidade, todos são educados e cordiais e tudo funciona perfeitamente. Além disso, ela fica no meio de um canal cheio de veleiros lindos, dentro de Newport Beach, um lugar que consideradas as devidas proporções traz todas essa qualidades também. Como deixar esse lugar?

aaa

As casas de Balboa são lindas.

aaa

Todas tem jardins impecavéis.

aaaa

aaa

aaa

As ruas são limpas e organizadas.

aaaa

aaa

Newport do outro lado do canal.

aa

O por do sol.

aaaa

aaaa

aaa

aaa

aaaa

aaaa

Já a noite, Newport do outro lado.

Mais difícil ainda foi dar adeus a nossa anfitriã Linda que como já contamos nesse post aqui, fez nossa viagem ficar mais especial. Na manhã seguinte – dia do nosso check out – o Gui saiu às cinco da manhã para surfar em Trestles. Eu passei minhas últimas horas com ela, compartilhando histórias cotidianas sobre nossas famílias e viagens.

Linda disse que não conheceríamos bem Balboa se não tivéssemos provado a iguaria mais famosa da ilha, a Banana Frozen. E foi assim, na lojinha da Marine Ave, que nos despedimos desse pedacinho da nossa vida, que apesar de ter durado apenas três dias, vai ficar pra sempre nos nossos pensamentos.


Ver mapa maior

aaa

A famosa Banana de Balboa.

aaa

Ela vem congelada e envolta em chocolate.

aaa

Depois é só escolher uma cobertura – a gente optou por castanhas –  e se deliciar.

Pegamos a estrada com direção a San Diego, mas antes de começar a contar nossa passagem pela cidade, vamos fazer mais alguns posts relacionados ao O.C. O próximo é o nosso roteiro resumido!

Laguna Beach

Laguna Beach é um daqueles lugares da Califórnia que eu sempre quis conhecer. A minha idéia de lá era de um bairro tranqüilo e charmoso, com casas lindas e uma bela praia com ondas pequenas, daquelas que você surfa só pra relaxar.

Saímos de San Clemente e na volta para Newport, decidimos fazer o trajeto beirando a costa, o que nos fez passar por dentro de Laguna.

Apesar de ter sido uma passagem rápida, pudemos perceber que minhas impressões eram verdadeiras. São 26 praias, em sua maioria pequenas enseadas protegidas por cliffs repletos de mansões.

Clique para ver maior.

Clique para ver maior.

As mansões morro acima.

As mansões morro acima.

Free Shuttle: durante os meses de verão, devido ao trânsito, a prefeitura disponibiliza para turistas e moradores transporte  em cable cars gratuito.

Free Shuttle: durante os meses de verão, devido ao trânsito, a prefeitura disponibiliza para turistas e moradores transporte gratuito em cable cars.

O Festival de artes de Laguna trouxe fama a cidade que é conhecida como um plo artistico da Californai.

O Festival de artes de Laguna trouxe fama a cidade que é conhecida como um polo artistico da California.

Paramos na Main Beach, a praia do centro, para tomar um sorvete e assistir um pouco o sol se por.


Ver mapa maior

IMG_4442 IMG_4441 IMG_4439 IMG_4446

Laguna é um daqueles motivos que temos para voltar! Precisamos conhecer melhor esse lugar. Alguém tem boas dicas ou impressões sobre a praia?

No próximo post: Nossa última noite em Balboa Island

Compras em San Clemente: Outlet Rip Curl

Saímos de Trestles e almoçamos em um Subway que tinha por ali – uma boa sessão se surf sempre vem acompanhada de uma baita fome.

Depois de matar o que estava nos matando, seguimos para o Rip Curl – Trestles Surf Outlet e se você é surfista não pode deixar de visitar a loja.  Ela fica na S El Camino Real, a mesma rua da entrada da trilha pra a praia.


Ver mapa maior

A menos de um quarteirão do estacionamento você vai encontrar uma loja da Rip Curl. Tome cuidado para não confundi-la com o outlet.


Ver mapa maior

Esse sim é o lugar certo:


Ver mapa maior

Apesar de ter uma boa seleção de roupas e acessórios da marca, o forte do outlet são os equipamentos. Você vai achar wetsuits, lycras, botinhas de neoprene, straps, quilhas e até pranchas com preços bem atrativos. Nós passamos pelo menos duas horas “fuçando” e saímos de lá com bons achados.

Mesmo que você não vá ficar no O.C. e só estiver passando por aqui no seu trajeto entre Los Angeles e San Diego vale a pena dar uma paradinha para conferir.

Mais informações: Rip Curl Surf Center -Trestles Surf Outlet

3011 S. El Camino Real, San Clemente, CA 92672 – (949) 498-7474

No próximo post: Laguna Beach

Trestles: a melhor e mais constante onda da California

Localizado na praia de San Onofre na cidade de São Clemente, Trestles fica a cerca de 40 minutos de Newport, na divisa do Orange County com San Diego.


Ver mapa maior

Chegar até lá não é das tarefas mais fáceis para um turista. Não existe nenhum tipo de sinalização ou placa que indique a entrada para a praia, na qual você só chega depois de enfrentar uma pequena caminhada.

Graças ao Thiago, nosso amigo de Santa Barbara, conseguimos encontrar a trilha que leva a um dos melhores picos de surf da Califórnia. Quando você chegar à intersecção da Cristianitos Road com a S El Camino Real vai perceber que alguma coisa diferente acontece ali: o estacionamento público e as ruas em volta estão sempre cheias de carros.

O estacionamento:


Ver mapa maior

A entrada da trilha:


Ver mapa maior

A trilha é longa – o ideal seria ir de bicicleta – e a pé, demora cerca de 20 minutos. Não parece muita coisa, mas quando você está carrendo cadeiras, tripé, câmera e prancha o cenário muda um pouco.


Ver mapa maior

As ondas quebram em quatro picos diferentes conhecidos como Cottons (bom para iniciantes e longboards), Upper Trestles (onde quebram mais direitas), Lower Trestles (que é aonde a gente surfou e normalmente o que apresenta melhores condições) e Middles (que parece tão bom quanto Lowers, mas não é).

Mapa picos

A trilha chega na praia entre Cottons e Uppers – quase na frente do último. Olhando pro mar nós seguimos para a esquerda em direção a Lowers.

Finalmente, depois de quase vinte dias viajando, achamos uma onda que valia a pena. Apesar do swell ainda estar pequeno, a brincadeira parecia estar boa.  Isso por que Trestles – e especialmente Lowers – recebe muito bem todas as direções e forças de swell e é um dos picos mais constantes de toda Califórnia. Além disso, a onda é super manobrável e abre para os dois lados, graças ao fundo de pedra. O maior incoveniente é o crowd, que começa cedo – no dia seguinte, o Gui chegou lá às seis da manhã, achando que seria o único na praia e já havia mais de 20 carros no estacionamento – e dura o dia todo.

page1

page3 page2

Gif 360 Gif Gui

Não há nada na praia – leve sua própria bebida e lanchinho e pode esquecer ir ao banheiro – e, a não ser que você surfe, não vale à pena ir até lá.

Lowers cedia uma das etapas do WT e é uma das ondas preferidas de muitos prós, que conseguem mostrar muitas das suas habilidades com manobras para os juízes durante a competição. Nos últimos dois anos tivemos brasileiros vencendo por lá – Miguel Pupo em 2011 e Gabriel Medina em 2012 – o que faz dessa etapa uma das minhas preferidas também.

Na nossa próxima ida à Califórnia vamos reservar mais dias para San Clemente e quem sabe se hospedar próximo a praia. A gente acha que vale a pena!

No próximo post: Compras em San Clemente – Outlet Rip Curl

The Wedge – as bombas do O.C.

Depois do nosso almoço em Crystal Cove, pegamos o carro e fomos voltando em direção a Balboa Island. Entramos no bairro de Corona Del Mar e fomos conhecendo um pouco da vida de Newport. As casas são lindas, as ruas limpas e organizadas. Tudo como nos filmes e seriados da TV.

aaaaa

As lindas ruas de Newport.

aaaa

Corona del mar: uma das praias mais populares da região.

Optamos por seguir um pouco mais pra frente e chegamos até o The Wedge – um dos mais famosos picos de bodysurfing do mundo – que fica no final da península de Balboa, quase em frente a balsa que atravessa para a Ilha, no Jetty View Park.


Exibir mapa ampliado

Exibir mapa ampliado

O lugar tem ondas impressionantes, que rendem muitas vacas e diversão garantida, pelo menos para a platéia. Funciona assim: a primeira onda da série vem e se choca com o paredão de pedras artificiais do lado esquerdo da praia e volta como uma nova onda que se junta com a próxima da série formando um estilingue com força suficiente para mandar muita coisa pelos ares. Para que isso aconteça é necessário um bom swell de sul e o período certo para que o time do encontro das ondas seja perfeito – um período maior ou menor causa um desencontro.

Apesar da aonda ser tradicionalmente para bodyboards, nos últimos anos prós como Strider Wasilewski, os gêmeos Hobgood, Jamie O’brien  e mais uma longa lista de corajosos tem desbravado o pico. Os skinboads também são presença constante e para eles o melhor é pegar a onda que bate no paredão antes dela se encontrar com a próxima, o que resulta em aéreos insanos, tubos mostruosos e caldos inacreditáveis.

Mas o pico não é pra qualquer um. Todo verão alguém é noticia por ter sido lançado contra as areias e se machucado feio. Por isso, é bom lembrar que apesar da onda ser possível para pranchas, ela é bem mais adequada para bodyboards.

Segundo o surfline “se você está se sentindo suicida ou só quer presenciar surfistas e bodyboars se jogando em dos espetáculos mai  deslumbrantes do sul da Califórnia, esse é o melhor lugar para visitar.”

Como nenhum de nós dois estávamos com intenção suicida, nos limitamos a sentar na areia e ficar observando os surfistas. O swell não estava dos maiores, mas já deu pra imaginar as belas vacas que podem ser precensiadas no pico.

aaaa

Assim que chegamos não haviam ondas e aproveitamos para dar um mergulho no mar.

aaaaaa

Mas logo alguns bodyboards entraram na água e garantiram nossa diversão.

Foi um final de tarde super gostoso, a galera na praia era bem bacana e o por do sol estava lindo.

Alguns dias depois o swell entrou um pouco maior e Linda – nossa anfitriã – tirou algumas boas fotos das ondas. Pelas fotos dela, fiquei impressionada com a quantidade de espectadores e imprensa que vão até lá para registrar o que sem dúvida é um espetáculo que vale a pena ser visto.

Por isso achei que o lugar merece uma galeria de fotos e vídeos.

aaaa

A onda é perfeita para bodyboards que gostam de fortes emoções.

aaaa

alguns surfistas se arriscam nos caixotes.

aaa

As vacas são a grande atração, pelo menos para quem está fora da água.

aaa

Que pode também não ser tão segura assim.

Saímos da praia e seguimos para Huntington para fazer umas comprinhas e jantar. Voltamos cedo, por que no dia seguinte o surf ia ser em uma das ondas mais esperadas da viagem. E é sobre Trestels que eu vou falar no próximo post.

Mais informações e previsão das ondas: http://www.surfline.com/surf-report/the-wedge-southern-california_4232/travel/

* Algumas das fotos desse post não são de autoria do blog. Se você detém os direitos de alguma das imagens e quiser que a mesma seja retirada ou creditada, por favor contate-nos.

Crystal Cove Historic District

Acordamos cedo depois de uma deliciosa noite e fomos surpreendidos com o café da manhã da Linda. Sei que já postei fotos, mas foi tão gostoso, que acho que merece um replay.

O café da manhã que linda preparou para nós no primeiro dia.

O café da manhã que Linda preparou para nós.

Saímos de carro meio sem rumo com o intuito de conhecer algumas das praias de Newport e Laguna.

(Vale ressaltar que a primeira parte da viagem, até Santa Barbara, foi minuciosamente planejada. O blog Hotel California nos ajudou muito nessa missão e a partir dali ficamos meio sem ter a quem recorrer. Por isso a segunda etapa não teve tanto planejamento e foi mais na “cara e na coragem”.)

Fomos parar na “Crystal Cove”,  10 minutos ao sul de Balboa.


Exibir mapa ampliado

O lugar é na verdade um State Park com 3,2 milhas de praias. Além de atividades como surf, pesca e mergulho, também são bem populares pelas terras trilhas e escaladas.

Das três praias – Reef Point, Pellican Point e Los Trancos – decidimos conhecer a última. É nela que fica a parte mais interessante do parque, o Historic District.

Paramos o carro no estacionamento do parque – $15 a diária – e seguimos caminhando até a praia.


Exibir mapa ampliado

A trilha que leva a praia.

A trilha que leva do estacionamento a praia.

Para chegar até o outro lado da estrada, você passa por um túnel em baixo dela.

Para chegar até o outro lado da estrada você passa por um túnel cheio de pinturas.

ssss

A entrada da praia.

aaaa

aaaaa

O Historic Distric é um bairro a beira mar construído entre os anos 20 e 30. São 48 cottages – esse termo é usado para casas com estilo mais rústico – contruídas nessa época que foram restauradas e são mantidas pela Crystal Cove Alliance. Boa parte dessas casas funciona hoje como um hotel e você pode alugar a casa toda – diárias entre $160 e $230 – ou apenas uma suíte e compartilhar as áreas comuns como a cozinha e a sala com outros hóspedes – entre  $83 e $123. Com certeza quero me hospedar aqui na nossa próxima visita ao OC.

aaaa

As casas restauradas que funcionam como hotel.

aaaaa

Casas ainda em processo de restauração.

aaaaa

A paisagem é linda.

 

aaaa

Vista da praia.

A praia é bem bonita e pegamos um dia maravilhoso. Decidi então que esse seria um ótimo momento para o meu primeiro mergulho nas águas do Pacífico.

Primeiro banho nas águas congelantes do Pacífico.

Primeiro banho nas águas geladas do Pacífico.

A água é congelante e não consegui dar um mergulho por mais de 2 segundos. Tudo bem, eu não gosto de água gelada, mas é torturante. Estava um super calor e mesmo assim eu fiquei tremendo por alguns minutos.

Los Trancos tem mais um diferencial além do Historic District. Foi a única praia em que encontramos um restaurante a beira mar, gostoso, pra ir descalço mesmo. O The BeachComber Café fica na ponta esquerda, bem na entrada da praia.

aaaaa

O restaurante visto de cima.

A espera estava enorme, mas pudemos ficar curtindo a praia e o sol enquanto esperavamos –o restaurante possui aquele sistema de espera eletrônico. Sentamos em uma mesa do lado de fora com uma vista deliciosa e pedimos o clássico Fish and Chips. Estava ótimo, mas o que eu amei mesmo foi o Coleslaw – aquela saladinha de repolho com maionese – que veio acompanhando o prato. Sonho com ela até hoje.  Gastamos cerca de $60.

aaaa

O ambiente do restaurante. Na entrada do banheiro uma escovinha para tirar a areia dos pés.

page10

Nossa mesa do lado de fora e o “Fish and Chips” acompanhado de saladinha de repolho e molho tartaro.

O BeachComber serve também café da manhã e jantar, e vale a visita. Não se preocupe em fazer reserva. Chegue um pouco mais cedo e aproveite para conhecer e curtir a praia.

Mais informações:

Crystal Cove Beach Cottageshttp://www.crystalcovebeachcottages.com/html/

5 Crystal Cove  – Newport Coast, CA 92657

The BeachComber Caféwww.thebeachcombercafe.com

15 Crystal Cove  Newport Beach, CA 92657

No próximo post: The Wedge – as bombas do O.C.

 

Ciao – nosso delicioso jantar Italiano em Balboa Island

Depois da nossa “volta” pela Ilha decidimos continuar caminhando pela Marine Ave, uma das principais e mais movimentadas de Balboa Island, a procura de algum lugar para jantarmos. É lá que fica praticamente todo o comércio, incluindo os restaurantes.

Marina Avenue:


Exibir mapa ampliado

Aleatoriamente, optamos pelo Ciao, um restaurantezinho italiano, pequeno e charmoso. O que nos chamou atenção e fez com que o escolhêssemos, além do cardápio é claro, foram as mesinhas do lado de fora e o ambiente super acolhedor – como quase tudo em Balboa.

Restaurante Ciao, na Marine Avenue.

Restaurante Ciao, na Marine Avenue.

Mapa:


Exibir mapa ampliado

Estavamos com bastante fome e já fomos direto para o prato principal. Ambos pedimos “Penne con Gamberi” – penne ao molho de tomates frescos, manjericão e camarões.

Mais uma vez pudemos provar a inveracidade da teoria de que se come mal nos Estados Unidos: a massa estava deliciosa – tão boa quanto as das melhores e mais caras cantinas de São Paulo. Havia tantos camarões que chegamos a deixar alguns no prato – normalmente o que sobra é macarrão! Tudo isso por um preço justo e acessível. Os pratos tinham preço médio de $16, o couvert é grátis e eles oferecem água aos clientes.

Penne con Gamberi: delicioso!

Penne con Gamberi: delicioso!

Além de massas, o restaurante tem no menu saladas, bruschetas, pizzas, peixes e carnes.

O menu completo você encontra aqui: http://www.urbanspoon.com/cities/20-orange-county/restaurants/241744-ciao/menu

Mais informações:

Ciao Italian Eatery
223 Marine Avenue
Balboa Island, CA 92662
(949) 675-4070
Terça a sexta –  7:00 am ás 11:00 am

No próximo post: Crystal Cove Historic Distric, as casinhas a beira mar dos anos 30