Santa Cruz Surf City: Steamer Lane

Nosso segundo dia em Santa Cruz começou bem cedinho, afinal estávamos ávidos para conhecer os picos de surf do lugar aonde tudo começou na Califórnia. Disputando o título Surf City, USA  com Huntington Beach – que legalmente detém os direitos do nome – a cidade respira a história do surf.

As primeiras ondas surfadas no continente americano foram percorridas em Santa Cruz pelos irmãos Jonah, David, e Edward Kawananakoa em 1885, príncipes havaianos que estavam passando férias na costa do pacifico. Desde então a cidade tomou o esporte e o modo de vida dos surfistas como um estilo e nunca mais foi a mesma.

Homenagem a família havaiana que levou o surf a Santa Cruz.

Em 2009 a cidade foi eleita pela Surfer magazine como a melhor Surf Town dos Estados Unidos e um artigo bem legal conta o porque disso: http://www.surfermag.com/features/best-surf-towns-no-1/.

Steamer Lane é o pico mais clássico e foi lá que escolhemos como nossa primeira parada. As ondas rolam  próximas aos cliffs que servem quase de arquibancada para expectadores. Infelizmente – e para variar – estava bem flat.

Mapa de localização.

O mar de manhã estava bem flat, só um corajoso encarou a água gelada pra ficar lá boiando.

Não tinha lugar melhor para se instalar o Surfing Museum – um farol bem acima do pico – mas que infelizmente também estava fechado – não estávamos com sorte nesse dia rsrsrs. Restou-nos então ir embora e tentar voltar mais tarde pra ver se rolava alguma coisa.

Surfing Museum.

No meio da tarde as ondas estavam um pouquinho maiores e alguns surfistas com Longboards e Sups se divertiam. O pico é mesmo bem interessante e quando o swell entra deve ser um ótimo lugar para conseguir boas fotos e filmagens. As direitas parecem ser relativamente fáceis, meio gordinhas e longas. O único porém é que a água é congelante, além é claro do local estar dentro do Red Triangle, zona repleta de tubarões brancos. Mas pela quantidade de pessoas que entram na água, acredito que a cadeia alimentar deva ser bem regulada e que eles não atacam humanos normalmente.

No meio da tarde as ondas aumentaram um pouquinho.

Alguns dias depois da nossa passagem um pequeno swell entrou e eu achei esse vídeo no You tube que mostra um pouco do potencial do pico.

http://youtu.be/Q9HzCz6KHWA

Esse outro vídeo, filmado com uma Go Pro dá uma noção de como é estar lá dentro.

http://youtu.be/op17x6SxqWU

Já esse dá uma idéia do que pode rolar quando o swell entra de verdade. Quem encara?

http://youtu.be/mhUOv5Pd1yc

Independente do tamanho das ondas – lembrando que no inverno os swells são mais constantes e a probabilidade de você ver o pico funcionando é maior – Steamer Lane vale a visita pela história. Se você é surfista e vai pra Califa tem que visitar o lugar onde tudo começou né?

A história está por toda a parte: homenagem a alguns surfistas que já se foram e as regras no mar.

Estatua em homenagem aos surfistas havaianos.

De preferência não vá as terças-feiras, para conseguir visitar o Museu que de fora já é uma graça.

Você encontra a previsão das ondas aqui: http://www.surfline.com/surf-report/steamer-lane_4188/

No próximo post: Mission santa cruz – mais um pedacinho da história da Califórnia

5 ideias sobre “Santa Cruz Surf City: Steamer Lane

  1. Pingback: Pleasure Point: mais um pico de surf em Santa Cruz | destino california

  2. Pingback: Surf Points em Santa Cruz | destino california

  3. Pingback: Roteiro Resumido Santa Cruz | destino california

  4. Pingback: O’Neill Coldwater Classic em Steamer Lane: começa hoje | destino california

  5. Pingback: Chasing Mavericks (Tudo por um sonho), USA, 2013, 1h56min | Destino California

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>